Pico Alto, Biscoito Rachado e Biscoito da Ferraria


TER 6 >

O Pico Alto é o vulcão poligenético mais recente da ilha Terceira, com cerca de 100 mil anos. As paredes da sua caldeira de colapso são visíveis apenas na Serra do Labaçal, na Caldeira da Agualva e na Rocha do Juncal, segundo uma imponente escarpa traquítica, pois esta depressão encontra-se preenchida por um número significativo de domos e escoadas siliciosas muito espessas (coulées). Estas formas vulcânicas, em número superior a meia centena, são localmente conhecidas por “biscoito” e definem importantes alinhamentos tectónicos de orientação geral NNO-SSE a ENE-OSO, como aqueles existentes nas áreas do Biscoito Rachado e da Ferraria. Além destas formas, em todo o geossítio predominam os depósitos pomíticos, destacando-se, pela sua singularidade, a presença de bombas de pedra pomes, muito raras nos Açores. Esta é uma das mais bonitas geopaisagens da ilha Terceira, constituindo um geossítio prioritário do Geoparque Açores, com relevância nacional e interesse científico, pedagógico e geoturístico.

38º 45'06''N 27º 13'08''W > VER MAPA

Pico Alto, Biscoito Rachado e Biscoito da Ferraria
Pico Alto, Biscoito Rachado e Biscoito da Ferraria Pico Alto, Biscoito Rachado e Biscoito da Ferraria
Clique aqui
Página Principal | Contactos | Notícias | Sitemap
Governo dos Açores Visit Azores Programa Operacional dos Açores para a Convergência (PROCONVERGENCIA)  
Clique aqui